Zaiter Laudelino de Souza (Professor)

0
6009
Professor Zaiter Laudelino de Souza
Professor Zaiter Laudelino de Souza

A presença do professor Zaiter Laudelino de Souza na sociedade de Paramirim foi de fundamental importância, não só sob o ponto de vista educacional, como também político e cultural, pelos seus dotes intelectuais, pelo seu caráter e honradez, somados a sua grande popularidade.

Filho de Laudelino José de Souza e Elvira da Trindade Souza, nasceu nos idos de trinta em Rio de Contas, Bahia, onde fez o curso primário. Formou-se em magistério pela Escola Normal de Caetité, revelado desde cedo grande vocação para o ensino. Vinculou-se ao Estado em 06 de maio de 1947. No começo da década de cinqüenta já se achava em Paramirim casado com Dona Ana de Lourdes Pinto Souza, funcionária dos Correios, uma dócil criatura dotada de excelentes prendas morais e espirituais, dona de vasta amizade, a que merecidamente podemos dizer, atrás de um grande homem existe sempre uma grande mulher.

Como professor, atuou na vila de Canabravinha, se deslocando a cavalo todos os dias a esta localidade com pesado sacrifício. Foi um dos primeiros mestres do Grupo Escolar Professor José Cândido Vieira, inaugurado em maio de 1955. No Ginásio e Escola Normal de Paramirim foi um grande baluarte, arcando somente com o pesado ensino de Português e Literatura, ao mesmo tempo em que ensinava na escola primaria. Participou da criação do Curso de Admissão ao lado das professoras Zelinda Magalhães Silva e Dulce Magalhães de Oliveira, cabendo-lhe as disciplinas de Língua Portuguesa e Geografia.

Para os alunos, Zaiter era um referencial de primeira grandeza. Rígido quando precisava, brincalhão quando queria ser. Querido e admirado por todos, pela sua cultura e dedicação, sempre pronto a servir a quem procurasse. Ajudou o Grêmio Euclides da Cunha, entidade representativa da classe estudantil de Paramirim nos anos iniciais de funcionamento do Ginásio. Participou da elaboração dos estatutos do clube do qual foi seu Secretário por mais de uma gestão. Sempre esteve presente nos momentos mais importantes da vida social de Paramirim, animando e orientando as festas de carnaval, o futebol, as formaturas, as passearas de 7 de Setembro. Era, por assim dizer, o redator oficial de todos os acontecimentos da cidade. Foi paraninfo dos formandos de 1966 ao lado do patrono Dr. Nelson Cayres de Brito. Os concluintes de 1962 ressaltaram o seu nome como inteligência e cultura e a turma de 1969 foi batizada de Turma Professor Zaiter Laudelino de Souza. Após várias reivindicações junto ao Governo Estadual o seu nome e o das professoras Dulce Abreu Magalhães, Dalila Alves Meira e Gerúsia Alcântara Pessoa foram colocados à disposição da Fundação 16 de Setembro, pela Secretaria da Educação.

Ninguém sabia discursar, melhor do que Zaiter. Nas cerimônias de encerramento, congratulações, inaugurações, recepções, sempre marcava presença, como orador. Pena que não nos deixou nada escrito ou gravado para conhecimento da posteridade. Na política, sempre atuou no Partido Social Democrático pelo qual foi eleito Vereador, em 03 de outubro de 1954, recebendo votos em todas as seções eleitorais. Na Câmara de Vereadores sua atuação foi brilhante, como muito bem atestam as atas lavradas com sua participação. Nessa condição lavrou importantes documentos, a exemplo de célebre Moção de autoria do seu colega Dr. Aurélio Rocha, na seção de 07 de abril de 1956, em favor da Anistia Ampla e Irrestrita, pela qual também ficaria beneficiado o lustre filho de Paramirim Dr. Milton Cayres de Brito, processado por questões ideológicas. Foi um forte cabo eleitoral nas campanhas de Manoel Flávio Barbosa ( 1954 e 1958 ), Dr. Aurélio Justiniano Rocha ( 1962 ) e Leobino José Rodrigues ( 1966 ).

Seu nome se encontra ostentado no frontispício do segundo Prédio Escolar construído na cidade – o Grupo Escolar Professor Zaiter Laudelino de Souza – uma justa homenagem lhe prestada pela sua inequívoca contribuição dada ao ensino em Paramirim.

Suas diversões preferidas eram o futebol, a pescaria e o jogo de buraco. Sempre que podia participava de um baba, reforçando o elenco dos casados contra os solteiros. Pescava na Lagoa de Paramirim, e nunca deixava de freqüentar uma roda de buraco na casa de Tobias Tanajura, seu conterrâneo.

Identificava-se bastante com Dr. Aurélio Justiniano Rocha e Antônio Bittencourt Araújo, sob o ponto de vista ideológico. Criticava veementemente as forças da Direita na época do Regime Militar. Participou ativamente da Escolinha da Garagem, ao lado dos simpatizantes da Esquerda, mas sabia respeitar democraticamente a opinião política de todos.

Em meados de década de setenta, após vender a sua casa residencial, localizada na Praça da Bandeira ao Sr. Joaquim Cardoso Dourado, mudou-se para Feira de Santana, onde faleceu em 27 de março de 2006, deixando os filhos Maurício, Vera, Margareth e Ana Tereza.

Carnaval de 1961 no clube de Paramirim

Carnaval de 1961

Da esquerda para direita: Ulysses Azevedo Bittencourt, logo em seguida, Prof. Zaiter Laudelino de Souza e sua esposa Dona Ana de Lourdes Pinto Souza. No centro, Edmundo Alkimim Neves e bem à direita, a Profa. Rita Meira Silva e o Sr. Paulo Elísio Ferreira da Silva. Destaque para a rainha eleita Josefina Thereza Barbosa Azevedo e as princesas Verbena Cardoso Tanajura e Gildete Marina Leão Teixeira.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui