Pedreiro morre eletrocutado em Paramirim

0
8819
Pedreiro morre eletrocutado em Paramirim
Elzo Francisco da Costa

O pedreiro Elzo Francisco da Costa, mais conhecido como Elzo de Botuporã, 51 anos, teve morte instantânea na noite de ontem ao ser eletrocutado na construção em que trabalhava.

O fato ocorreu por volta das 18:40h quando Elzo tocou numa fiação elétrica numa obra pertencente a sua família, localizada na Rua Capitão Luiz José de Magalhães, bairro Lagoa do Barro, em Paramirim.

Elzo era natural de Botuporã – BA e há mais de dez anos morava em Paramirim com residência por ele próprio construída na Rua José de Castro Abreu no mesmo bairro do acontecimento.

Dedicado profissional e exemplar pai de família como sempre foi, na tarde de ontem, ao concluir a sua jornada de trabalho numa outra construção, Elzo resolveu dedicar mais umas horas extras na obra em que aconteceu o fato, para adiantar alguns serviços, mais infelizmente o destino lhe reservou esta fatalidade.

Para alguns populares que estiveram no local, o pedreiro deve ter tocado descalço ou com as mãos molhadas em algum fio desencapado, circunstância muito perigosa para qualquer pessoa sem a devida proteção contra acidentes de trabalho.

Após a constatação e divulgação do fato, a polícia esteve no local para acionar as providencias de remoção do corpo para o IML de Brumado, a fim de se proceder a autópsia. Estivemos hoje pela manhã na residência de seus familiares e até por volta das nove horas a liberação ainda não havia acontecido.

Consternada, a família agradece antecipadamente a todos que têm comparecido à sua residência para prestar solidariedade, tempo em que convida parentes e amigos para o seu sepultamento que ocorrerá na próxima quarta-feira (01 de junho) na cidade de Botuporã, no mesmo Cemitério, onde jazem outros membros da família.

Elzo era filho de Francisco José da Costa e Valdemira Lima da Costa. Deixa a esposa D. Anita Nobre Neres e duas filhas, sendo uma delas, a mais velha casada com o engenheiro civil José Valdo Santos com escritório na Av. Botuporã e a segunda, estudante de engenharia da computação, em Salvador.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui