O Brilho das estrelas

0
2317
Poesia: O Brilho das estrelas

Neste mundo perdido,
Abraçado com a morte
Em um leito de despedidas
A última rosa, cai a última flor.
Com um vermelho intenso
Marcando com sua bela sombra
Uma deixa para a revolução.
O início de uma guerra
Correndo pelo corredor da vida
Por um caminho inevitável.
Acordado pelo som das batalhas
Sonhos quebrados, refletidos
No espelho da verdade.
Não siga, por mim
Este é o mundo,
Este é o fim.
Em um rio de
Lagrimas uma gota de
Sangue mancha meu reflexo.
Continue para sempre
Em um terrível pesadelo.
Sem poder acordar
Sem sentir que tudo não passou
De uma mera ilusão.
Lute contra iguais
Lute contra ideologias!
Hahahahahaha!
Tudo não passa de um mero ritual
Contra tudo e todos.
Não há o que temer,
Apenas é uma guerra.
Em meio da dor e sofrimento
Tudo começa a se desfazer
Nas manchas do pecado
Destruído, mas ainda vivo.
Seu coração e mente em ruínas…
Como pôde deixar?!
Como pôde acreditar ?!
Somos apenas peças
Este é o jogo que
Sempre travamos. É aqui que tudo
Nasce, é aqui que tudo morre.
Não há nada de errado!
Somos sombras que surgem da escuridão,
Da destruição e ficam vivas pelo brilho das estrelas.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui