De piseiro em piseiro, Paramirim aguarda janeiro!

0
6551
De piseiro em piseiro, Paramirim aguarda janeiro!

Haja fôlego, cerveja e churrasco. A galera do 40 em Paramirim tá que tá. É uma lua de mel com a vitória que não tem mais fim. Em cada final de semana uma festa, às vezes duas ou três, em cada festa mais vibração. Nos povoados, mais carne no espeto, mais gente comemorando, mais roda de bate papo com os amigos, todos se confraternizando. Todos a uma só voz dizendo é um piseiro só.

Patrocinadores é o que não faltam. Da união nasce a força. A vez agora é do povo, de todos que lutaram pelas mudanças.  As comunidades, os bairros, as pontas de ruas, não importa o lugar, onde houver um 40 tem gente fazendo festa para comemorar.

Motivos há de sobra, vontades também. O sangue festivo dos paramirinhenses corre nas veias de geração a geração. Basta alguém tocar uma corneta na rua para a galera sair dançando, mesmo sem se dar conta do que está acontecendo. Dança na corda bamba, na chuva, na beira do rio, nas praças, nos salões e nos terreiros de chão batido, mas agora o que tá na moda mesmo é a tal dança do piseiro que pelo seu ritmo quente e contagiante se transformou no hino de guerra da campanha “quarentiana” se perpetuando com a vitória intensamente comemorada em todos os recantos do município.

Neste sábado à noite (29) a vez da festa foi na Praça Pe. Benvindo, um recanto histórico da cidade muito aconchegante e apropriado para se divertir pelos atributos que possui. Conta inclusive com uma quadra de esporte onde a galera do Bigode sacudiu o esqueleto até de madrugada. 

Para animar o ritmo do evento, as bandas Índio dos Teclados e Cheira Show comandaram o palco intervalados por outras apresentações. Nas festas de largo do interior sempre tem alguma atração para sair do trivial. Não importa que seja um cantor, uma banda, uma dançarina.  Uma apresentação folclórica, mas o interessante mesmo é se divertir, confraternizar, curtir com os amigos, papear, encontrar e reencontrar pessoas, mostrar o charme e se fazer ser visto para se tornar admirado. Mas, quando se trata de piseiro é só alegria. Basta jogar as mãos para cima, sacudir o corpo e desentalar a voz sem perder o rebolado. Nas festas da vitória, a palavra de ordem é comemorar.

Não bastasse tudo isso, ainda rola o churrasco. A picanha, o cupim e a alcatra correm de mesa em mesa. Carne fumegante, crocante e saborosa refrigerante e cerveja, tudo na base do 0800. Com essa mordomia, o ritmo quente do piseiro, vai chegar até janeiro. No próximo sábado será a vez do bairro São José. A galera que se cuide. Vamos pegar o sol com a mão. A banda já foi contratada, patrocinada pelo povão, vai ter gente bonita na praça e churrasco. Você não pode perder. Haja fôlego e coração.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui